segunda-feira, novembro 13, 2006

Lamentos De Filhas Da Deusa Mãe Natureza


As folhas das relvas úmidas de lágrimas. O cantar dos pássaros recheados de sons cadentes de lágrimas. O vento que varre cidades e o campo ressoando em lágrimas. Os animais vendo a corrupção de todas as Humanidades, em lágrimas. As fontes dos rios em lágrimas. As origens dos oceanos em lágrimas. As montanhas imemoriais percorridas por seres de outras Esferas Baixas e por todos das Esferas Altas, pelo Baixo, em lágrimas. Não apenas aqui na Terra, mas em todo o Baixo a Natureza chora. Chora por causa das Quedas Angélicas. Chora por causa das Quedas Humanas. Queria eu enxugar com as minhas quedantes asas as Lágrimas Da Deusa Natureza. Queria eu, Anjo Noturno Caído, envolto pela Densa Escuridão Da Noite Eterna Das Quedas, enxugar Lágrimas que tocam-me neste meu corpo material quedante. Quando todas as Humanidades esqueceram das Vozes Da Deusa Natureza, rompeu-se os Laços Maiores Com O Alto. Quando os Homens Caídos Que Reinam Entre As Sombras Eternas incentivaram aos corruptos valores que hoje inundam os mundos do Baixo, a muitos A Sombra De Kain encobriu. Lágrimas Da Natureza São Como As Lágrimas Da Face Do Criador Que È Todas As Lágrimas, Todas As Faces, Toda A Natureza.

Nesta inominável floresta do Vale Das Fadas, sozinho entre flores e lágrimas, Meu Pai Em Sopro, fazei-me aqui o favor de escutar-me. Eu sofro desde que meu egoismo admitiu-se em mim como minha fazedora maior de Quedas. Sou como a Deusa Natureza a chorar, submeto-me ao lar de lágrimas que me recebem como gigante filho de estradas dolorosas que se construíram com o asfalto vadio das minhas caídas lágrimas. Recebi de Vós O Sopro, alimentei-me em Vós de todos os Sopros, integrei-me ao voraz Sopro Das Quedas, no entanto... As Lágrimas Dela, da Deusa Natureza, tanto aqui como em qualquer outro inominável horizonte aquecem mais as minhas quedantes asas, eu Caio mais, eu Caio mais... Para onde estou Caminhando neste meu Novo Caminhar, estou tão sozinho quanto A Alma Serena Da Deusa Natureza, Alma ferida, Alma pelos humanos esquecida...
- E pelos Anjos Elevados e Caídos, em guerra, também, Asin Du An No In.
Faradyr e Layan, duas Fadas Maiores De Roamok, O Vale Das Altas Terras Irlandesas Ocultas, de mim aproximam-se. Sua etérea beleza ofusca minha sombria aparência de Anjo Caído. Fecho mais as minhas asas, estou diante de Seres Elevados Que Tudo Sabem, como eu Sabia.
- Não culpeis os Anjos Elevados e os Anjos Caídos pelo Esquecimento Da Natureza, os humanos assim o fizeram, os Anjos apenas os seguiram.
- As culpas são humanas, mas as Vontades Do Alto a isso quiseram. - Faradyr observa.
- Anjos e humanos em uníssono estão em culpa pelas Lágrimas Da Deusa Natureza.
- E Ele, também, Asin Du An No In. - Layan afirma uma Verdade.
- Ele também, mas através...
- Não nos venha a falar de Fontes De Poder e nem das Faces Dele, Asin Du An No In. Sabemos que Ele É Um Só Em Permanente Contato Consigo Mesmo, Contato Que É Toda A Criação. Nas Harmonias Altas Reinam As Harmonias Baixas... Reinavam, Reinavam, Reinavam... Hoje, Asin Du An No In, não há mais Reinado Das Harmonias Altas E Baixas. As Luzes Apagaram-Se. As Trevas Elevaram-Se. Dizer que há Harmonia é o mesmo que dizer que as Humanidades curvam-se diante do Poder Da Deusa Natureza. Curvar-se à Deusa Natureza não é submissão, é o reconhecimento que damos à nossa Mãe em Nosso Pai Em Sopro. Mas, os humanos, arrogantes e pretensiosos, dotados de ambições e de orgulhos, esqueceram-se da Origem de suas existências e da Essências de suas pequenas potências. Os Anjos iniciaram, desde A Primeira Queda, O Esquecimento Da Deusa Natureza, com o consentimento do Nosso Pai Em Sopro. Belo Pai temos, Asin Du An No In...
- Tu pareces uma dos humanos, Layan, falando assim de Nosso Pai Em Sopro.
- Somos Mais Antigas do que tu, Asin Du An No In. - Faradyr diz-me o que eu já Sabia desde a primeira vez que aqui as encontrei. - Lembramos de todas as Esferas Antigas Das Antigas Criações porque Puras sempre fomos. Jamais nos rebaixamos ao nível humano, como os de vossa Hierarquia Quedante, Asin Du An No In. Fadas Jamais Caíram, Jamais Cairão E Não Caem. Tu vivestes com nossa Antiga Deusa em Atlântida e Sabes que as Fadas, As Filhas Fiéis Da Deusa Natureza, não se corrompem ou são corrompidas. Não temos mais Deusas, todos os Deuses foram esquecidos em todas as Esferas Baixos, dados pelos humanos como mortos. Deuses mortos... Deuses mortos... - Tristemente, ela olha para O Espelho Da Criação, diante deste Vale, diante de todos os Vales. - Tu vistes Tan A Tos chorar, Asin Du An No In e ouves desde que fostes Soprado Pelo Nosso Pai Em Sopro ao Choro Da Deusa Natureza. Observes no Espelho Da Criação como tudo foi Moldado, será Moldado e é Moldado por Ele, Nosso Pai Em Sopro... Átomos chorando do Nada ao Todo... Elementos chorando do Nada ao Todo... Existências infinitas chorando do Nada ao Todo... Choro É O Moldar, Tudo Chora Ao Ser Moldado Porque Sair Do Nada Perfeito Para O Todo Corrupto É Sofrer Toda Dor De Manifestar-Se Em Grosseiro Baixo Mar. Fadas são Seres Elevados, amantes da Paz Desconhecida pelas Humanidades Do Baixo. Tu estás em uma guerra pela vossa Perfeição Perdida, mas não para Retornar Ao Alto do qual as Fadas fazem parte Caminhantes Incólumes Pelo Baixo. Tu queres ser um Arauto De Salvações Humanas, pequenas salvações no Baixo, grandiosas no Baixo. Nós te admiramos, Asin Du An No In, vossa trajetória agora é a de um como nós, as Fadas, a de um Guerreiro Da Paz. No Caminho Do Guerreiro Pacífico, tu terás que ouvir muitos Choros e Ver muitas Lágrimas. Caminharas sozinho, mas não te direis se poderás conduzir um humano da Terra para uma das Escadas Das Ascensões Evolutivas.
- Continue Ouvindo O Choro Da Natureza e Vendo As Lágrimas Da Natureza, Asin Du An No In. - Delicadamente, Layan acaricia minhas asas; seu toque alivia as dores de meu Quedante Espírito Materializado. - Continue Ouvindo, continue Vendo... Aceite Habel e Kain, como as Fadas aceitam... Como as Fadas, caminhes no Silêncio Eterno, como sempre Caminhastes Caído... Atente-se aos humanos desta Terra... E tu poderás plantar uma Árvore Nova Da Vida onde muitos outros humanos, de outros mundos, poderão colher maduros altos frutos dos quais se alimentarão.

Fadas são seres desconsiderados pela maioria humana.

Em todos os mundos do Baixo assim é.

Se As Vozes Das Fadas fossem ouvidas, As Vozes De Kain seriam esquecidas.

Fadas são minhas amigas.

Fadas choram junto com a Deusa Mãe Natureza.

Fico aqui com elas, observando ao Espelho Da Criação...

Ouvindo O Choro Da Natureza...

Vendo As Lágrimas Da Natureza...

Ouvindo o choro delas, Faradyr e Layan...

Vendo as lágrimas delas, Faradyr e Layan...

Ouvindo o meu silêncio.

Vendo que eu não choro.

Minhas lágrimas estão caladas.

Meu choro é mais doloroso.

3 comentários:

Lord of Erewhon disse...

Gostei da tua argumentação no Portal Gótico - por vezes vou lá como visitante, não me interessa ser membro - acerca da APS e da Church of Satan: estás correcto no fundamental... um pouco mais interessantes que a Church, mas, mesmo assim, sem muito interesse... Ateus, nada mais!

P. S. Aquilo lá no Portal é só garotada - cheios de «cultura» - mas que pouco ou nada sabem...

Lux Maxima!

Lord of Erewhon disse...

Tu és membro do Fórum da APS? Eu sou, mas há muito tempo que nada posto, aquilo anda meio morto...

http://www.apsatanismo.org/aps_frame.html

Lord of Erewhon disse...

Inscreve-te, se achares por bem...

http://www.apsatanismo.org/forum/

(Lá sou Klatuu.)