domingo, novembro 12, 2006

Anjo Caído Das Humanas Escuridões


Alev Aha Sha Rya fora no Alto O Anjo Elevado Das Altas Iluminações Dos Seres Materiais, Senhora Maior de uma Hierarquia Angélica, a dos Poderosos Luminares Das Almas Eternas Moldadas. Ela, Anjo Noturno e Anjo Da Face Feminina Creadora, era A Poderosa Iluminadora Alev, A Senhora Da Iluminação Dos Caminhos Das Escadas Das Ascensões Evolutivas. Alev, Tão Senhora Do Seu Iluminar, Tão Senhora Do Seu Alvorecer, Tão Senhora Do Seu Ser, em um Dia Da Criação resolveu por contra própria do Alto Descer À Matéria. Tocando em Terras Materiais, Alev deixou-se contaminar pelas Escuridões Dos Crimes Humanos porque queria compreender, Em Si Mesma, A Razão Dos Crimes Humanos. Na Aurora De Todas As Humanidades após as Idades De Ouro, O Segundo Nascimento Das Humanidades, Ela caminhou pela Criação e cometeu contra Si mesma um Crime: permitiu-se demasiado contato com as Forças De Kain e perdeu o seu Contato Celeste com as Forças De Habel. Alev Caiu dentro das Humanas Escuridões. Alev Caiu por causa da sua Escuridão.

- Anjos possuem Escuridões, Asin, propensos são ao Ato Do Sombrio Envoltório Das Sombras. Aqui estamos nós, meu Irmão Caído, neste deserto, feridos em nossas asas por causa de cada ferimento de um humano em suas asas que nem sequer chegam a muito se desenvolverem. É dos humanos mesmos as falhas em suas asas natimortas. Nós tinhamos Vivas as nossas asas, Asin, e hoje... Hoje, ah, hoje! Hoje! Hoje! Hoje! Estou... muito mais humana do que penso... Neste deserto aqui deste mundo no qual Cai e continuo Caindo, somente recebo Humanas Escuridões, somente atraio Humanas Escuridões...
- Obscuro Caminhar Na Matéria...
- Seiva De Ervas Proibidas Aos Anjos...
- Rumo De Perdas Aceitas Pelas Horas Baixas...
- Afastamento Do Alto Em Si Mesmo...
- Retirada Do Alto Em Si Mesmo...
- As Vozes Celestes de nossas Condições Angélicas isso nos diziam...
- Fomos por Caminhos heterogêneos de Quedas sendo guiados até aqui...
- Não Cai e nem Caio por causa de um homem ou de uma mulher materiais, Asin. Minha Queda é mais nobre e altruista do que a vossa. Minhas Quedas são mais nobres e altruistas do que as vossas.
- Disso eu sei, Alev.
- Falas comigo ironicamente, Asin...
- A ironia é estarmos aqui neste inominável deserto terrestre Sabendo que sempre nos encontramos nele, Alev.
- Onde está Pad?
- Onde está Fag?
- Se a vossa Companheira Em Quedas lhe abandonou, és porque estás, como eu, em um Novo Caminhar, Solitário Verdadeiramente Agora.
- Eu queria que...
- Eu lhe acompanhasse, Asin, para a sua própria Compreensão acerca das Baixas Esferas Humanas Das Humanas Escuridões?
- Necessito de auxílio para Compreender Kain.
- Tu estás em Kain. Eu estou em Kain. Os Anjos Elevados estão em Kain. Os Anjos Caídos estão em Kain. Os humanos estão em Kain. Aqui no Baixo, Kain é o Único Deus De Todos.
- Nem todo o Baixo está sob o Domínio Do Violento Braço De Kain. A Força De Kain está Desequilibrada E Desequilibrando cada vez mais A Harmonia Das Esferas Baixas. Anjos Elevados, ao invés de tantarem restabelecer O Equilíbrio com Habel...
- Asin, tu ainda não Compreendestes A Necessidade De Kain...
- Compreendo...
- O Baixo É A Própria Violência Das Formas Nas Violentas Formas De Todas As Coisa Se Desenvolverem. Eu acumulo em minhas asas as Escuridões Das Humanidades Baixas e tudo que de impuro se pratica, de imundo se constrói, de destrutivo aniquila tudo o que é construtivo, as minhas asas absorvem. Mais do que asas, Asin, vós sabeis que este meu imortal corpo material É As Humanas Escuridões. Kain precisa assim Desequilibrar cada vez mais a tudo para que as Humanidades venham novamente a reconhecerem o Nosso Pai Em Sopro.
- Erro é assim deixar Kain agir.
- Tu és menos do que as areias deste deserto, Asin, vossas asas já não alcançam Elevadas Alturas.
- Ainda estou com elas alçando Vôos, Alev.
- Tu vais Cair mais profundamente, Asin...
- Ficarei melhor do que vós, a aceitar carregar Escuridões eternamente que nem para ti estavam destinadas.
- Não sou uma pobre perdida entre os Anjos Caídos, Asin. Tu, que te dispusestes agora a querer o Reequilíbrio Da Criação sendo apenas um pobre Anjo Caído, apresenta as verdadeiras pobrezas entre nós dois aqui.
- Vossa Riqueza De Humanas Escuridões tornou-lhe mesmo Uma Dos Que Recusam A Veste Da Luz Das Verdades Celestes.
- Para ti, sou Demônio?
- Não, tu és apenas O Resquício Quedante De Toda Ruína Humana.
- Tu sofrerás penalidades, Asin, tu estás Caminhando contra As Leis De Nosso Pai Em Sopro.
- E Ele Caminha Contra As Humanas Escuridões, Alev?
- Dele Advém Todas As Humanas Escuridões, Asin.

Escuridões...

Ele...

Escuridões...

Ele...

Ventos de obscuridades cada vez mais passam por mim.

Minhas asas estão frias.

Eu estou me esvaziando.

Eu estou me preenchendo.

Estou nas Escuridões Da Criação...

Alev está se afastando...

Alev vai para outro deserto com as suas Humanas Escuridões.

Meus desertos aumentam as minhas próprias Escuridões.

Um comentário:

Lord of Erewhon disse...

Não entendo parte da teologia e da mítica que segues... Ou estás como Blake no «Primeiro Livro de Urizen»... a criar uma mitologia nova?