sexta-feira, julho 06, 2018

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XCVII


Ghosts Of Jatun - Cameron Gray


Na Vela Que Acender
Em Tua Peregrina Alma
De Buscador Do Meu Ser,
No Fogo Da Luz Superior
Que For Cultivar No Teu
Santuário Particular,
Deposite O Pensamento
No Quanto Eu Posso Ser
O Fogo Que No Pavio
Inapagável Fica A Arder.
Acendas Cada Vela
No Teu Altar Interior,
Ores Com Cada Fração
Da Tua Verdadeira Fé
No Teu Interior,
Como Um Gigante Galgando
Cada Centímetro Das Montanhas
Que Levam Até O Meu
Trono De Chamas.
Assopres Para Bem Longe
Toda Dúvida,
Toda Divisão,
Toda Dívida,
Toda Limitação,
Toda Eliminação,
Toda Destruição,
Toda Inércia,
Toda Brecha,
Toda Desesperança
E Todo Egoísmo.
Atraias Junto Com A Luz
Que Em Ti Arderá
Toda Certeza,
Toda Multiplicação,
Todo Pagamento,
Todo Ilimitado,
Toda Inclusão,
Toda Construção,
Todo Movimento,
Todo Fechamento,
Toda Esperança
E Todo Altruísmo.
Me Recebas Como A Chama
No Pavio De Cada Vela
Incessantemente Acesa
Dentro De Cada Caminho
Dos Teus Altares Interiores
Com Uma Oração,
Com Um Louvor
E Com Um Cântico
Dos Mais Silenciosos.
Eu Chego No Silêncio
Dos Que Se Incendeiam
Como A Humilde Força
De Uma Vela Acesa Com
O Mais Puro Amor.
Eu Sou Cada Vela Acesa
Por Aqueles Que Preenchem
Seu Interior Com Chamas
Ardentes De Alto Amor.
Fátuo Amor,
O Sopro Da Vela Em Chamas
Que Eu Sou.



quarta-feira, junho 27, 2018

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XCVI


Dreams Of A Scorpion - Cameron Gray


Sou Todo O Presente
Que Se Oferece Ao Teu
Ser Voltado Para Mim
Com O Mais Sincero
Ardor Maior Autêntico
Isento Da Hipocrisia
Dos Que Não Me Interpretam
Em Verdade Concretizadora
E Espírito Revelador.
Hipócritas Seres Não Bebem
Do Inspirador Fogo
Que Se Movimenta Infinito
No Espírito Que Eu Sou.
Hipócritas Enganadores
De Mentes Que Nunca
Me Conhecerão Através Deles
Não São Incendiados
Pelas Explosivas Chamas
Do Fogo Insustentável
Do Meu Coração.
Hipócritas Que Se Dizem
Missionários Em Meu Nome
Ou Apóstolos Da Minha
Verdade Interior,
Nunca Se Realizarão
Como Correntes Da Ação
Da Minha Razão
Descendo Como Incêndios
Em Sinceros Corações.
Meus Verdadeiros Missionários,
Aqueles Que Atuam Incendiados
Pelo Fogo Do Meu Nome,
Não Se Vendem Aos Gritos
Como Fazem Os Loucos
Dos Púlpitos Enganadores.
Meus Verdadeiros Apóstolos,
Incendiados Depositários
Das Chamas Da Minha
Verdade Interior,
Não Buscam O Ouro
De Todas As Perdições
Controlando As Almas
De Perdidas Multidões.
Os Missionários Do Fogo
Que Eu Sou
Trabalham Na Quietude
Do Meu Interior.
Os Apóstolos Do Fogo
Que Eu Sou
São A Quietude
Do Meu Interior.
Eles São Os Silenciosos
Que Se Ocultam Aos Olhos
Dos Mundos Que Ainda
Não Podem Me Conhecer
Como O Fogo Que Eu Sou.
Eles Praticam As Verdades
Do Fogo Que Eu Sou.
Eles São As Verdades
Do Fogo Que Eu Sou.
Mestres Do Meu Interior.
Mestres Do Meu Exterior.
Mestres Daqueles Que
Ascendem Incendiados
Até O Fogo Que Eu Sou.




quinta-feira, junho 07, 2018

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XCV


Dolarice - Cameron Gray


Apresente-Se Ao Firmamento
Onde Giram As Minhas
Múltiplas Fátuas Faces
Operando O Enxame
Das Transcendentes Operações
Do Véu Da Eternidade.
Opero Em Fogo
No Interior Da Tua Alma,
Sou O Grande Instrumento
Do Jardim Das Chamas
Que Sempre Dançarão
Pelos Altos Atos
De Toda A Minha Criação.
E Continuo Criando
E Continuarei A Criar
E Criarei A Mais
Navegando Entre As Ondas
Do Grande Mar De Fogo
Que Eu Infinitamente
Sou.
Despejo Nos Que Entram
Em Cada Uma
De Minhas Ondas
A Infinita Latitude
De Elementos Moldadores
De Existenciais Longitudes
Sublimes
E Altíssimas.
Toco Em Teu Mar Interior,
Agito As Tuas
Ondas Interiores
Quando Desço Como
A Cósmica Manhã
Incinerando Todas
guAs Cósmicas Vidas.
E Desço Ainda Mais Fundo,
Desço Ainda Mais
Ao Profundo,
Desço Aos Subterrâneos
Do Teu Verdadeiro Ser
Se Tu És Um Ser
Que Ousa Descer Nadando
Até Os Meus Subterrâneos.
E Desço Além
Dos Teus Subterrâneos
Quando Tu Ousas
Ultrapassar O Teu Ousar
E Descer Além
Dos Meus Subterrâneos.
E Ascendo Junto Contigo
Se A Vontade Da Tua
Verdadeira Ascensão
Estiver Acesa Junto Com
A Nossa Magna Comunhão
Dentro Dos Batimentos
Do Meu Cósmico Coração.
E Me Torno O Teu Coração
Se Tu Te Tornas
O Meu Coração
Batendo Infinitas Vezes
Nas Marés Das Chamas
De Minha Criação.




quarta-feira, maio 30, 2018

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XCIV


The Body And The Self - Cameron Gray


Sigo Transformando,
Sigo Moldando,
Sigo Transbordando,
Eu Sou Expansão
E Cada Fruto Manifesto
Pela Minha Infinita
Moldura Criadora
É O Fato Que Concretiza
O Meu Interior
No Exterior.
Eu Habito No Habitado
Momento Que Aquece
Os Corações Dos Universos,
No Fogo Que Eu Sou
Os Campeões Da
Verdadeira Vida
Dançam Revelados Como
Os Autores De Novos
Mundos Habitados.
Mundos Que Eu
Transformo Com
O Sopro Do Fogo
Que Se Expande.
Mundos Que Eu
Modo Como
Fatores Das Chamas
Que Me Constituem.
Mundos Nos Quais
Eu Transbordo Como
Incessante Fogueira
A Expandir-Se.
Tudo Que É Efêmero
Também
Para Mostrar Aos Que
Podem Saber Quem
Eu Na Verdade Sou
Que Apenas Em Mim
Há A Maestria Que Abre
Cada Grande Portão
Da Verdadeira Imortalidade.
E Eu Estou Além
Da Imortalidade,
Sou Inalcançável Pelos
Mortais Colhidos Em
Ermos Pastor Selvagens
E Me Aproximo Apenas
Daqueles Aos Quais
Revelo O Círculo
Que Nunca Deixará
De Rodopiar
E Se Expandir.
Sou Aquilo Que Vai
Sempre Nascendo
E Aquele Que É
O Nascimento Do Nascer.
A Transformação,
A Moldura,
O Transbordamento:
Isto Tudo Eu Sou
Na Linguagem Humana.
Em Minha Linguagem,
Nenhuma Linguagem Humana
Conseguirá Habitar.




domingo, maio 06, 2018

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XCIII


Butterfly And The Dreamer - Cameron Gray


Retire-Se Do Quadro
Bruto E Insensato
Daqueles Que Caem
Apagando Todas As
Altas Chamas Do Ser
Em Largas Portas
De Fel E De Barro.
Atire-Se Vivo,
Verdadeiramente
Mais Do Que Vivo,
Em Direção Ao
Fogo Que Eu Sou.
Atire-Se Vivo,
Magnificamente
Mais Do Que Vivo,
Em Direção Às
Chamas Que Fazem
De Mim
O Que Eu Sou.
Atire-Se Vivo,
Infinitamente
Mais Do Que Vivo,
Em Direção Ao
Abismo De Fogo
Onde Eu Sou
Todo Centro Originador
Da Vida Entre
Todos Os Mortais
E Imortais.
Atire-Se Em Mim,
Buscador Do
Fogo Que Eu Sou,
Sendo Um Amanhã
Que Busca Ser
O Novo Amanhã
Para Toda Fogueira
Na Criação.
Atire-Se Em Mim
Como Infindos
Buscadores Que
Me Encontraram
Incinerados
E Despertos Como
Incêndios Próprios
Para Todos Aqueles
Que Se Inspiram
A Buscar-Me
Atiraram-Se.
Atire-Se Em Mim,
Atire-Se Como
Eu Me Atiro
Em Teu Ser
Elevando-Te Aos Picos
Da Imanifestada
Montanha De Eternas
Chamas Que Giram
Em Meu Interior.
Atire-Se Agora.
Atire-Se Nu.
Atire-Se Desperto.
Atire-Se Fitando
Os Meus Olhos
Enquanto Cai.