terça-feira, janeiro 16, 2018

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXXXV


Release Me - Cameron Gray


Crer Em Mim
Apenas Por Crer
Ou Querer Crer
É Efêmero Desejo
Dos Que Não Sabem
Quem Eu Sou
Em Única Verdade.
Não Creia
No Fogo Que Eu Sou
Por Obrigação.
Não Creia
No Fogo Que Eu Sou
Por Imposição.
Não Creia
No Fogo Que Eu Sou
Por Suposição.
Não Creia
No Fogo Que Eu Sou
Por Ouvir Falar
De Tudo Aquilo
Que Eu Não Sou.
Creia Em Mim
Sem A Máscara
Das Mentirosas Cinzas
Que Mentem
Sobre Mim.
Creia Em Mim
Sem A Capa
Das Falsas Devoções
De Falsos Apóstolos
Que Ousam Falar Absurdos
Sobre Mim.
Creia Em Mim
Sem A Certeza
Dos Hipócritas Enganadores
De Mentes Que Pensam
Estar Nas Minhas
Chamas Sem Fim.
Creia Em Mim
Como O Fogo Do Seu
Próprio Coração,
Que Tanto Arde
Ao Bater Pensando
Em Mim.
Creia Em Mim
Com A Sinceridade
E A Humildade
Que Os Libertos
Pelo Fogo Que Eu Sou
Tem Dentro De Mim.
Creia Em Mim
Como O Pai Em Chamas,
A Mãe Em Chamas,
O Filho Em Chamas,
O Espírito Em Chamas.
Creia Em Mim
Manifestado.
Creia Em Mim
Imanifestado.
Creia Em Mim,
Apenas.




quinta-feira, janeiro 11, 2018

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXXXIV


And I Hope You Hold A Place For Us - Cameron Gray


Corra Para Meus Braços,
Corra Em Minha Direção,
Meu Barco É De Chamas
E Os Remos Estão
Em Vossas Mãos
No Meio Do Grande Mar.
Corra Pegando Fogo,
Buscador Do Incêndio
Que Eu Sou.
Corra Pegando O Fogo
Que Se Espalha Em Ti
Como Sublime Tempestade,
Buscador Do Incêndio
Que Eu Sou.
Corra Como Fogo,
Corra Sendo O Fogo,
O Fogo Que Me Chama
Pelo Nome,
O Fogo Que Traduz
O Meu Idioma,
O Fogo Que Traz
A Minha Essência,
O Fogo Que Abarca
A Minha Presença.
Corra Sem Olhar Para
Os Lados Em Ruínas
Que Se Assemelham
Ao Que Eu Tomo
Como Cinzas.
Corra Sem Olhar Para
As Escadas Deterioradas
Daqueles Que Construíram
Seu Acesso Até Mim
Com Mentirosas Palavras
Conjugadoras Do Meu Eterno
Verdadeiro Verbo.
Corra Sem Olhar Para
Todos Que Fracassaram
Em Minha Busca,
Todos Que Não Souberam
Que Estou Aguardando
No Templo Interno
E Não Na Poeira
Que É Matéria Efêmera
Fadada Ao Encarceramento
No Pó.
Corra Olhando-Me
Nos Olhos.
Corra Olhando-Me
Na Face.
Corra Olhando-Me
Nos Pés.
Corra Olhando-Me
Nas Mãos.
Teus Olhos.
Tua Face.
Teus Pés.
Tuas Mãos.
Corra Assim
E Tu Não Fracassarás
Ao Me Buscar
No Espelho De Tua Alma,
No Santuário Da Tua Mente
E No Incêndio Do Teu Coração.




quinta-feira, janeiro 04, 2018

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXXXIII


The Drum - Cameron Gray


Sou O Fátuo Som
Da Imanente Verdade
Nos Corações Sinceros
Que Batem A Favor
Do Eterno Ardor
Do Fogo Do Meu
Eterno Coração.
Sou A Música
Toda Em Chamas,
A Música Ouvida
No Alto De Cada
Montanha Em Chamas.
Sou A Música
Toda Em Chamas,
A Música Ouvida
Nas Profundezas De Cada
Oceano Em Chamas.
Sou A Música
Toda Em Chamas,
A Música Ouvida
No Interior De Cada
Floresta Em Chamas.
Sou A Música
Toda Em Chamas,
A Música Ouvida
Nas Mais Altas Altitudes
De Cada
Firmamento Em Chamas.
Incinere-Se Nos Elementos
Da Criação,
Torne-Se Uma Nota
Da Harmônica Sinfonia
Do Meu Fátuo Coração,
E Tu Serás Digno
Do Trono De Fogo
Onde Reinarás Pleno
De Excelsa Libertação.
Cante A Minha Música
Nas Chamas Do Teu
Ardente Coração
A Me Convocar
A Cada Degrau Da Escada
Que Tua Vontade
Lhe Guia A Ultrapassar.
Torne-Se Uma Música
Para Ti Mesmo.
Torne-Se Uma Música
Em Mim.
Torne-Se A Música
Que Se Expande Em Chamas
Dentro De Mim.
Dance Comigo,
Então,
Na Alvorada Dos Universos
Em Combustão.
Te Dou O Tom.
Te Dou A Harmonia.
Te Dou A Voz.
E Te Dou
A Canção Infinita
Das Chamas
Do Meu Coração.




quinta-feira, novembro 16, 2017

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXXXII


Next In Line - Cameron Gray


O Divino Que Sou
Não Se Limita
Às Cinzas Que
Me Descrevem
Em Vossos Livros
Fadados Sempre
Ao Eterno Vazio.
Não Estou Nos
Que Vós Chamais
Livros Sagrados,
Sou Chama Inapagável
De Um Livro
Que Eternamente
Está Sendo Escrito.
Não Sou Determinado
Por Materiais Palavras,
Sou O Indeterminável
No Verbo Fátuo
Que Conjugo Junto
Com Os Versos
Da Minha Poesia
Sempre Inexplicável.
Não Me Busque
Nas Cinzas Dos Livros
Que São Defendidos
Pelos Comedores
De Cinzas Cegantes
Ao Vosso Lado,
Diante De Vós,
Atrás De Vós
E Em Vosso Redor.
Não Me Busque
Em Palavras Determinadas
A Serem Apenas
Matéria Incendiável
Pela Passagem
Das Chamas Do Tempo.
Me Busque
No Livro Divino
Que Se Encontra
Na Biblioteca Oculta
Do Vosso Coração.
Me Busque
Nas Palavras Divinas
Que Se Encontram
Nos Livros Ocultos
Que São Aqueles
Verdadeiros Livros
Que Vós Deveis Ler
Em Ti Mesmo.
Leiam As Chamas
Do Divino Que Sou
Em Vosso Coração.
Escrevam Nas Chamas
Do Divino Que Sou
Na Oração
De Vosso Coração.
Formem Novos Livros.
Reformem Todos Os Livros.
E Nunca Os Vendam
Ao Vosso Mundo Já Repleto
De Tantas Cinzas Ilusórias
Que Tentam Descrever
O Fogo Que Eu Sou.




quinta-feira, novembro 09, 2017

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXXXI


Coma - Cameron Gray

Escape Do Enredo
Do Fim De Tuas Forças
Dentro Do Fogo
Que Eu Sou Acima
Das Efêmeras Vestimentas
Nas Quais Tu Pensas
Buscar Altiva Segurança
E Duradoura Estabilidade.
Eu Sou A Segurança
Que Permanece Desperta
Contra Cada Perigo
Da Falta De Ânimo
Que Pode Contaminar
Cada Chama
Da Tua Eterna Alma.
Eu Sou Também
A Única Estabilidade
Possível A Todos
Que Estremecem Ao Mover
De Cada Prato
Da Balança Existencial.
Equilibro Teus Passos
E Percorro A Estrada
Toda Profunda
Das Verdadeiras Correntes
De Teus Infinitos
Múltiplos Oceanos.
Construas Em Mim
E Sobre Ti
Um Novo Enredo,
Uma Nova Estrada,
Um Novo Livro,
Um Novo Princípio
Para O Fogo
De Tua Eterna Alma.
Submeta-Se Ao Termo
Que Sobre Ti Afirma
A Expansiva Versão
De Ti Mesmo
Como Um Novo Ser
A Cada Dia.
Pense Em Cada Dia Teu
Como Novo Universo,
Presente Mundo
E Eterna Geração
Dos Muitos Caminhos
Que O Novo Pode Assumir
Em Cada Um Dos Teus
Profundos Passos
Na Estrada Existencial.
Atue Como
O Novo Personagem
De Tua Nova História
A Cada Passagem
De Tuas Caminhadas
Pelas Minhas Chamas.
Atue Como Eu Atuo.
Escreva Como Eu Escrevo.
Conte Como Eu Conto.
Sejas Uma Nova Letra
Do Incinerante Alfabeto
Das Minhas Chamas.




sábado, outubro 14, 2017

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXXX


Forever Can Be - Cameron Gray


Reflito Sobre O Tempo,
Sou O Próprio Tempo,
Eterno Fogo Imensurável
Entre As Vestimentas
De Todo O Tecido
Sobre A Infinda Expansão
Sendo Moldado.
As Horas Em Chamas
Erguem As Torres
Onde Concluo
Novos Tempos.
Os Minutos Em Chamas
Erguem As Montanhas
Onde Apenas Aqueles
Que Compreendem
A Minha Passagem
Pelas Eras Eternas
Podem Ter O Direito
De Escalar.
Os Segundos Em Chamas
Manifestam Contagens
De Todos Os Tempos
No Tempo Que Sou
Em Apenas Um Momento
Que Me Expande
Em Todos Os Terrenos.
Os Milionésimos
De Segundos
Do Verdadeiro Tempo,
Este Desconhecido
Pelos Imortais
E Pelos Mortais,
São O Verdadeiro
Aspecto Do Meu
Tempo.
No Não-Tempo
Que Sou,
Na Infinita Distância
Em Relação A Cada
Efêmera Definição
Do Tempo,
Sou As Possíveis
E Impossíveis
Novas Horas
Que Nascerão.
Incontáveis Chamas
Que Nem Mesmo
Todas As Areias
Desta Criação
Se Igualam,
Eu Sou Como
O Fogo No Tempo
Revelado.
E Antes De Todas
As Passadas
E Futuras Horas Vossas,
Sou O Relógio A Bater
Nas Presentes Horas
Dos Passos Dados Por Vós
Em Direção Ao Tempo
Do Fogo Que Eu Sou
A Todo Tempo.